Mudança de atitude

Divulgar

Ler próximo artigo:

"Turbo – Exceção ao equilíbrio"

Ler artigo anterior:

"Em busca da Felicidade: você também pode chegar lá!"

Mudança de atitude

Em Conhecimento | 0 comentários

Oi pessoal, tudo bem?

Bom, nos vídeos anteriores nós falamos sobre responsabilidade pessoal e stress. Hoje, eu vou mostrar para vocês como uma pequena mudança de hábito pode trazer benefícios muito eficazes.

Voltando ao rol de perguntas que mencionamos nas aulas anteriores, vamos pensar em como podemos modificá-las para convertê-las em perguntas certas.

Pergunta errada: quem deixou isso aqui?

Vamos mudar para: pessoal, talvez, seja melhor que eu mude isso aqui de lugar para que não caia. Vou guardar de volta no armário, ok?

Pergunta Errada: porque o José do RH não se explica direito, porque não se comunica melhor?

Vamos mudar para: o que posso fazer para me comunicar melhor com o José do RH?

Pergunta errada: isso não é da minha área, o senhor pode procurar o responsável?

Vamos mudar para: senhor, como posso ajudá-lo?

E por aí vai…

Fazer as perguntas certas nos ajuda a mudar o rumo de uma determinada situação porque nos auxilia a fazer as melhores escolhas e dar foco na solução e não ao problema.

Utilizando o exemplo do garçom diante da dificuldade, ele não perguntou: – Porque afinal essa droga de restaurante não vende Coca Cola?

Ele certamente perguntou: – O que eu posso fazer para atender melhor a esse cliente?

Fez uma boa pergunta e, na sequência, boas escolhas.

As boas escolhas converteram as dificuldades em oportunidades que, posteriormente, lhe renderam resultados positivos. Por exemplo, em pouco tempo foi promovido a gerente.

Portanto, a ferramenta aqui é simples.

Observar que temos a tendência de reagir primeiramente a uma situação de forma negativa, trazendo a mente os questionamentos equivocados e com isso as atitudes também seguem no mesmo fluxo.

E essa reação é natural, por isso, temos que exercitar constantemente.

Parar e nos deter na observação daquilo que podemos buscar em nós mesmos para resolver as situações e, então, expurgar o mau hábito que temos de culpar, reclamar ou adiar a realização de uma determinada tarefa.

Com melhores perguntas, teremos melhores respostas e soluções.

Vejam também o poder da pergunta positiva.

Quando uma pessoa diz: quando vão, finalmente, me reconhecer e me dar um aumento?

Fazendo essa pergunta que tipo de sentimento estamos atraindo?

Sem dúvida, estamos colocando nas mãos de outras pessoas um poder sobre um aspecto importante da nossa vida e, portanto, nos tornando menos poderosos, além de nos colocar em uma posição de vítima.

Um exercício legal para “mudar a chave” do pensamento nessa hora é trocar o danadinho do “por que tal coisa” pelo “como eu posso”….. e aí finalizar o pensamento.

Como ou o que EU posso fazer para mudar essa situação???

Vejam a maravilha que há por trás desse exercício simples!

AO MUDAR A CHAVE DO PENSAMENTO, EM ME TORNO PODEROSO, PORQUE SOU DONO DE TODAS AS COISAS E SITUAÇÕES QUE SE APRESENTAM!

EU E MAIS NINGUÉM recebi esse desafio, tenho esse dilema e posso pensar em uma maneira de mudar aquele panorama. Simplesmente, porque resolvi pensar em como posso resolver uma determinada situação e não em como me livrar dela, não em como jogar a responsabilidade em outras pessoas e me colocar no papel de vítima.

– O que posso fazer para que meu trabalho seja melhor hoje?

– Como posso colaborar mais com meus colegas?

O stress, uma das grandes chagas da humanidade contemporânea, também é ocasionado por nossas escolhas.

Sim, problemas acontecem o tempo todo e com todos nós.

Mas a forma como lidamos com as situações, faz toda a diferença.

O que você quer ser? O dono do seu destino ou uma vítima expectadora dos acontecimentos?

A responsabilidade pessoal parece ser uma coisa pequena e tola, mas não é, pois lhe dá o enorme poder de decidir sobre o rumo e o resultado das diversas situações que se apresentam em nossa vida cotidiana.

Fazer as perguntas certas e assumir o controle da situação nos ajuda a fortalecer a estima e autoconfiança, já que depender ou confiar nas atitudes dos outros nem sempre leva aos melhores resultados dentro dos nossos interesses pessoais.

No momento em que assumimos para nós as atitudes e as tarefas, somos agraciados com o bom resultado final de tudo aquilo que depende apenas de nós mesmos para se concretizar de maneira positiva.

Por hoje é isso amigos, pensem nisso e vamos levar para nossa vida pessoal, para nosso trabalho esse simples exercício que é muito poderoso.

Fazer as perguntas certas: “o que eu posso” e “como eu posso” vão nos conduzir as melhores respostas e a um futuro com muito mais realizações.

Obrigada por sua atenção e até a próxima.

banner_temp_II

RECEBA NOVIDADES POR E-MAIL